“A solidariedade foi mais contagiosa que o vírus”, diz Hulk sobre pandem

Luciano HulkLuciano Hulk (Foto: Reprodução da Internet)

Luciano Huck foi entrevistado por Skype pelo programa Pânico, da rádio Jovem Pan.

A atração, que estava suspensa devido quarentena por conta do novo coronavírus, voltou ao ar com a equipe reduzida e seguindo todos os protocolos de saúde para evitar a contaminação da doença.

Hulk comentou como está a rotina da família neste período de isolamento social e destacou sua perspectiva para os próximos meses. “Eu acho que a gente está vivendo um momento na história da humanidade em que a gente precisa ter muitos aprendizados, em todos os sentidos. É um momento para ficarmos muito atentos, porque as decisões que estão sendo tomadas agora podem impactar a vida de todos nós nos próximos anos, independente de ontem você mora”, disse o comunicador.

Ele ainda agradeceu o trabalho árduo dos jornalistas e parabenizou a produção do Pânico pela coragem de voltar à ativa.

“A mídia está tendo um papel muito relevante neste momento de informação, de ser o filtro dessa quantidade de fake news ou de informações que não precedem. É muito importante o Pânico estar com esse jeito coloquial e popular, mas sempre com muita seriedade”.

Cotado para ser um possível candidato à presidência da República, Luciano Huck não fugiu do questionamento sobre o assunto político.

“Eu estou afim de contribuir como eu posso. A ideia é colaborar. Se a gente entregar o país mais pra frente exatamente como pegamos quando nós éramos adolescentes, nós vamos ter falhado”. E ainda dissociou a pandemia a um ato político: “É um equívoco a gente tratar esse problema como uma política e um orçamento de guerra. A narrativa dessa vez é a de salvação, de emergência. Entrar nesse embate político todo dia não é construtivo pra ninguém”.

Curta a fanpage no Facebook e Siga-nos no Instagram!