Fani Pacheco fala sobre cirurgia íntima e divide opiniões

Fani PachecoFani Pacheco (Foto: google)

Fani Pacheco recorreu à web para se manifestar sobre um tema ainda pouco discutido no Brasil. A ex-BBB, que é acostumada a abordar os mais diversos assuntos em seu Instagram, decidiu falar um pouco sobre labioplastia – cirurgia que tem como propósito promover a redução dos lábios vaginais.

De modo a se posicionar contra o procedimento, a estudante de medicina trouxe à tona um texto contendo dados de pesquisas feitas com algumas mulheres.

“Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgias Plásticas Estéticas, cirurgias de labioplastia aumentaram 45% entre 2015 e 2016 em todo o mundo. Há registros de meninas de 9 (NOVE) anos pedindo por esse cirurgia”, iniciou o relato.

“Em 2016, uma instituição de caridade de câncer ginecológico pediu para 1000 mulheres identificassem sua anatomia numa ilustração médica. 44% das mulheres não conseguiram identificar a vagina. 60% não soube identificar a vulva”, prosseguiu.

“Pesquisas mostram que o orgasmo pode reduzir o estresse, inibir o apetite, aumentar o nível hormonal, melhorar o sono e o olfato. Um estudo de 2017 de um site de vídeos adultos mostrou que em apenas 18% das vezes as mulheres eram vistas tendo orgasmos”, disse ainda.

“Quase sempre com expressões faciais e vocalizações exageradas e sem estímulo do clitóris. O estudo concluiu o óbvio, que a pornografia convencional promove e perpetua perspectivas irreais quanto aos prazeres femininos. Fiquei chocada com meninas de 9 anos pedirem para operar seus lábios vaginais”, acrescentou.

“Tomando consciência dos malefícios do patriarcado, vamos fortalecendo o movimento de um novo mundo. Imagino quanto mulher sofre com a aparência de seu órgão genital”, completou o texto.

No campo de comentários da postagem, Fani Pacheco explicou o motivo pelo qual é contra o procedimento estético nas partes íntimas.

“A beleza é individual. E existe beleza em todas. Não existe a mais bonita. Existe toxicidade na promoção do que é beleza em todos os aspectos e agora até quanto ao nosso orgão sexual”, afirmou a universitária, em interação com uma seguidora.

“A questão não é a aparência estética e nunca foi. A questão é interna de se reconhecer maior como Ser e ter prazer pelo seu Ser. O corpo é instrumento apenas e existe beleza em quem sabe SER e sabe SENTIR de verdade. Mulheres e homens adoecem cada vez mais e não procuram a cura que é interna”, continuou.

“A questão é cultural. O malefício da educação patriarcal que cria homens e mulheres machistas sem que eles percebam. E mães transferem a suas filhas essa preocupação exacerbada com a estética para ser aceita pela sociedade e pelo homem se encaixando num padrão de estética vaginal machista criado pela educação patriarcal dessas próprias mulheres”, refletiu ainda.

A loira, a propósito, ganhou o apoio de muitos internautas após a exposição de seu ponto de vista. “Se meninas de nove anos estão com esse tipo de queixa, eu suponho que elas estão tendo acesso a conteúdos não adequados pra essa idade”, alegou um fã da ex-sister. “Concordo com você, Fani!”, disparou outro. “Estão inventando problemas pra venderem soluções, e boa parte das mulheres está comprando”, finalizou uma terceira pessoa.

Curta a fanpage no Facebook e Siga-nos no Instagram!