Fernanda Montenegro celebra carreira e desabafa sobre ataques à cultura

Fernanda MontenegroFernanda Montenegro (Foto: Reprodução da Internet)

Fernanda Montenegro fez um balanço de 2019 e revelou que este foi um dos anos em que mais trabalhou. Aos 90 de idade, em plenas funções, ela surpreende pelo alto volume de trabalho.

“Espero descansar um pouco. Foi um dos anos que mais trabalhei“, contou a atriz, que só este ano estrelou três filmes: A Vida Invisível, O Juízo e Piedade.

Além de todo o trabalho no cinema, a atriz ainda arranjou tempo para lançar sua autobiografia, Prólogo, ato, epílogo: Memórias, além de uma participação na novela das 21h da Globo, A Dona do Pedaço.

Mesmo com o cansaço proveniente de tanto trabalho, Fernanda não reclama de ser tão requisita para inúmeros papeis, na TV, no cinema e no teatro. A atriz ainda afirma que mais personagens instigantes virão, mas ressaltando que sem atropelo em seu agenda.

“Se aparecer um trabalho interessante, que toque o meu coração, vou fazer. Não gostaria de fazer tudo junto como aconteceu. Não estou me queixando, mas foi bastante coisa“, falou Fernandona.

Fernanda Montenegro, que esteve no Festival do Rio, defendeu a cultura, e ainda falou não saber o que está acontecendo com o país. “É difícil. Sem cultura não há educação e sem educação não há cultura. Eu não entendo o que está acontecendo com este país, tantos xingamentos. Não sei porque essa agressão em torno de nós. Não há explicação. É uma nova moralidade que condena qualquer estrutura contrária ao seu Deus“, pontuou a artista.

A artista também se pronunciou sobre a retirada de cartazes de filmes históricos das paredes da Ancine. “Nós somos imorredouros. Nós sobrevivemos uma vez. Desta vez, é uma forma assassina. Se eles pudessem estaríamos todos num paredão e eles atirando em nós com metralhadoras“.

Curta a fanpage no Facebook e Siga-nos no Instagram!