Juíza mais antiga da Suprema Corte dos EUA deixa o hospital

Ruth Bader GinsburgRuth Bader Ginsburg (Foto: G1)

A mais antiga juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos e líder da ala liberal, Ruth Bader Ginsburg, recebeu alta no domingo do hospital onde foi internada na sexta-feira com uma aparente infecção.

A magistrada de 86 anos sofreu uma série de problemas de saúde este ano, o que levou a especulações sobre uma possível aposentadoria, o que permitiria ao presidente Donald Trump nomear um substituto.

"Ginsburg está em casa e melhorando", afirmou a corte, segundo a mídia local.

A juíza foi internada na sexta-feira à noite com calafrios e febre, segundo um porta-voz do tribunal.

Considerada uma figura do feminismo, Ginsburg é uma dos quatro juristas liberais do tribunal de nove membros.

Em agosto, ela completou um tratamento de radioterapia ambulatorial de três semanas em Nova York para um tumor maligno localizado no pâncreas.

Ela foi tratada por câncer de cólon em 1999, e uma década depois, por câncer de pâncreas, que foi detectado em um estágio inicial.

Em dezembro de 2018, dois nódulos foram removidos do pulmão.

Os juízes da Suprema Corte são nomeados de forma vitalícia, e Ginsburg disse repetidamente que só se aposentará quando se sentir incapaz de lidar com o fluxo de trabalho.

Ginsburg, nomeada pelo ex-presidente democrata Bill Clinton em 1993, goza de grande popularidade, especialmente entre os jovens.

Curta a fanpage no Facebook e Siga-nos no Instagram!