Novo clipe de Nego do Borel divide opiniões entre artistas e comunidade LGBT

Nego do Borel - PolêmicaNego do Borel - Polêmica (Foto: Reprodução)

Nego do Borel lançou na noite desta segunda-feira (09), o clipe Me solta e já vem causando polêmica na web, dividindo opiniões. No vídeo, o cantor interpreta a personagem Nega da Borelli que, vestida com roupas femininas, beija um ator com quem dançava. A ousadia do funkeiro despertou elogios de celebridades, no entanto fez surgir questionamentos da comunidade LGBT sobre representatividade, reforço de estereótipos e misoginia.

O clipe foi gravado em junho no Morro do Borel, onde o artista nasceu e foi criado. Famosos como Sabrina Sato, Dado Dolabella, Psirico, Bruno Gissoni, Kevinho e Aline Riscado elogiaram o  vídeo.

"Acabei de ver inteiro no Youtube. Maravilhoso", disse a apresentadora. Dolabella fez piada com a personagem interpretada por Nego do Borel: "Solta a Nega, por***"".

A banda Psirico escreveu: "Me solta, por***. KKK. Irmão, você é pi** demais. Que maluco fod**. Fotografia, cenário, luz, beijão, sua roupa...E a música é hit. Brocou tudo".

Bruno Gagliasso enviou uma mensagem para o WhatsApp de Nego do Borel, que compartilhou o elogio em seu Instagram. "Acabei de ver o clipe, irmão. Arrasou. Parabéns. Você merece o sucesso", disse o ator.

Já o comentário de Matheus Carrilho, cantor assumidamente gay e parceiro de Pabllo Vittar na música "Corpo sensual", fez o nome do artista ser um dos mais citados no Twitter nesta terça-feira. Carrilho, que apagou os tuítes em seguida, defendeu a iniciativa de Nego do Borel e despertou críticas de parte da comunidade LGBT. A polêmica se deu após viralizarem na rede social imagens de Nego do Borel ao lado do deputado federal Jair Bolsonaro.

O rapper Rico Dalasam, também integrante da comunidade gay, relativizou a iniciativa de Nego do Borel, e definiu a encenação como "idiotização": "Que o Nego do Borel faça o que ele quiser com a cara dele, mas que a idiotização a qual ele se presta não venha atravessar as verdades construídas diariamente por tanta gente, visíveis e invisíveis!".

Alguns youtubers com canais pelo movimento LGBT argumentam que Nego do Borel apostou na ousadia apenas para chamar atenção. O publicitário e youtuber baiano Spartakus Santiago compartilhou um texto crítico ao fato de o cantor usar a personagem homossexual para fazer "piada":

"A bicha preta afeminada sempre foi motivo de piada. Se vestir de bicha preta e fazer mais piada ainda não é representatividade e nem empoderamento. Empoderamento é colocar quem sempre foi silenciado numa situação de poder. De respeito. Empoderamento é ver Liniker e Linn da Quebrada fazendo turnê pela Europa. Não é ver hétero apoiador de candidato homofóbico se fantasiando de bicha preta pra lucrar com pink money. Isso só empodera seu direito de rir da gente", disse.

Curta a fanpage no Facebook e Siga-nos no Instagram!