Roberto Justus cria polêmica ao chamar coronavírus de 'gripezinha'

Roberto JustusRoberto Justus (Foto: Reprodução da Internet)

Vazou na internet, um áudio de Roberto Justus enviado para Marcos Mion em um grupo de WhatsApp. Na conversa, o empresário refuta um dado apresentado pelo apresentador, prevendo que no Brasil haverão cerca de 1 milhão de óbitos decorrentes do novo coronavírus.

Apresentando os dados atuais da doença, Roberto Justus diz que em nenhum local do mundo morreram tantas pessoas por causa do agente infeccioso, sendo praticamente impossível estes números serem registrados por aqui, sendo que nem na Itália ou China, epicentros da contaminação, tais valores foram atingidos.

Na sequência, o empresário resolveu dar uma provocada no colega de RecordTV: 

“Então, quem entende um pouco de estatística, que parece que não é teu caso, vai perceber que é irrisório e dos que morrem, mesmo dos velhinhos é só de 10 a 15% deles morrem”, iniciou. Na sequência, Roberto Justus diz que seria bom as pessoas se contaminarem pelo coronavírus, pois isto geraria uma imunidade na população, cessando a crise.

A grande preocupação de Roberto Justus é do ponto de vista econômico. Ele compreende que medidas como evitar aglomerações e manter os idosos em quarentena sejam necessárias. Mas para ele, o isolamento total da população trará consequências catastróficas, sobretudo para os mais pobres, diante do colapso financeiro que a pausa das atividades irá causar em nosso país e no mundo.

Insistindo na não letalidade do coronavírus, disse que tais consequências são muito piores do que o “viruzinho”, que causa apenas uma “gripezinha” leve em 90% dos casos, fazendo menção à Covid-19.

 

Curta a fanpage no Facebook e Siga-nos no Instagram!